[RN] “SE ESPERARMOS QUE DEUS AJUDE O PAÍS, NADA VAI MUDAR”

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

CORREIO 24 HORAS, 31-10-2011
DANIELA MERCURY DESABAFA: "TÔ DE SACO CHEIO DESSE ATRASO BRASILEIRO"


Em continuação, a cantora explicou que o motivo do brasileiro ser passivo e "dar a cara para bater 50 vezes" poderia estar relacionada ao catolicismo e a crença de "esperar que Deus resolva tudo". "Se esperarmos que Deus ajude o país, nada vai mudar (…) Tô de saco cheio desse atraso brasileiro", frisou.
[e]

http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/daniela-mercury-desabafa-to-de-saco-cheio-desse-atraso-brasileiro-1/

[Grande conclusão.] s0u4t3u via ateularia.posterous.com

Anúncios

[RN] FILME: “DIOS ME LIBRE” E A IGREJA “TRANSPROFÉTICA”

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

GNOTÍCIAS, 01-11-2011

FILME SOBRE PASTORES LADRÕES SE INSPIRA NA IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS, AFIRMAM ROTEIRISTAS

No Chile, dois primos, Lenin Cifuentes e Jonah, fundam uma igreja, a Transprofética, para lavar dinheiro do tráfico de drogas. Lenin se apresenta aos fiéis como o “último profeta”. A ideia dá tão certo que os dois ganham muito dinheiro com a pregação. Antes, para que o “negócio” deslanchasse, eles fizeram uma viagem ao Brasil com o objetivo de aprender técnicas sobre como tirar dinheiro de crentes com o uso da TV. O estágio foi de seis semanas de período integral.

Em resumo, essa é a história da comédia Dios me libre (Deus me livre) que acaba de ser lançada no Chile. As gravações foram feitas em Santiago e em São Paulo. Há uma cena na praça da Sé.

O roteirista Juan José Hurtado e o cineasta Martin Duplaquet informaram que a inspiração veio de tele-evangelistas americanos da década de 80 e da Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus). Viram muitos vídeos do Youtube.

Duplaquet disse que, antes da estreia do filme, foi advertido de que poderia ter problema com líderes religiosos. Mas ele acredita que isso não ocorrerá porque a Transprofética, afirmou, é uma ficção, ainda que concebida com base na realidade.

Ele espera que nenhum devoto se sinta ofendido. No filme, não aparece nenhuma vez a palavra “evangélico”.

“O filme não é sobre uma seita em particular, mas sobre os dois primos e como o marketing às vezes é capaz de nos convencer de qualquer coisa.”

Não há previsão de o Dios me Libre passar no Brasil.

[i]

http://noticias.gospelmais.com.br/filme-pastores-ladroes-se-inspira-igreja-universal-26848.html

[Quero ver… boa ideia.]

s0u4t3u via ateularia.posterous.com

[RN] PESQUISA DIZ QUE FICA PREGUIÇOSO QUEM PENSA EM RELIGIÃO

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

HYPE SCIENCE, 31-10-2011

ACREDITAR OU PENSAR EM DEUS PODE NOS DEIXAR "PREGUIÇOSOS"

Segundo uma nova pesquisa, não importa se você é um verdadeiro crente; pensar sobre Deus e/ou religião pode transformá-lo em um preguiçoso.

“Mais de 90% das pessoas no mundo concordam que Deus ou um poder espiritual semelhante existe ou pode existir”, disse a pesquisadora Kristin Laurin.

“Esta é a primeira evidência empírica de que simples lembretes de Deus podem diminuir alguns tipos de autorregulação, como perseguir objetivos, mas ainda pode melhorar outros, como resistir à tentação”.

Os resultados do estudo foram independentes das crenças dos participantes religiosos. Mesmo para aqueles sem uma crença pessoal em Deus, a cultura mundial está saturada de referências religiosas e imagens que poderiam afetá-los. Mesmo sem saber, estes sinais religiosos podem ter um efeito psicológico.

No novo estudo, os pesquisadores lançaram a mais de 350 estudantes de engenharia a ideia de Deus ou fé, oor exemplo, ao fazer os participantes escreverem uma frase usando uma lista de palavras com conotações espirituais.

Depois, os estudantes fizeram testes de habilidade em que tinham de criar tantas palavras quanto possível a partir de um grupo de letras. Quando tinham visto imagens ou linguagem religiosas antes, os estudantes pensaram em menos palavras, independentemente da sua origem religiosa.

Os pesquisadores acreditam que a “falta de esforço” do grupo que tinha ouvido sobre religião poderia ser ditada por uma crença que o destino está nas mãos de Deus.

Se os alunos acreditam que Deus controla o seu destino, tentar ser melhor não vai ajudá-los a ser melhor, resultando em um menor esforço. Este processo de pensamento parece ser inconsciente, mas apenas a presença de Deus, ou evocar palavras ou imagens sobre religião, podem alterar o comportamento das pessoas.

Um segundo estudo tentou os participantes com cookies, depois de terem lido uma de duas passagens – uma sobre Deus e outra sobre um tema não religioso.

Os participantes que leram a passagem de Deus não só relataram uma maior disposição para resistir à tentação, mas também eram menos propensos a servirem-se sozinhos dos cookies.

Esse efeito, entretanto, só foi encontrado entre os participantes que haviam dito anteriormente que acreditavam que uma entidade onisciente olhando por eles, embora a força de sua devoção a Deus que não tenha entrado em jogo em nenhum dos experimentos.

Os pesquisadores dizem que esse efeito pode ser o “efeito Papai Noel”, no qual as pessoas “se comportam bem”, porque Deus sabe quando elas estão sendo más. Ser lembrado da presença de um Deus onisciente ajuda as pessoas a resistir às tentações, por medo de serem “apanhadas” fazendo o mal.[LiveScience]

[i]

http://hypescience.com/acreditar-ou-pensar-em-deus-pode-nos-deixar-%E2%80%9Cpreguicosos%E2%80%9D/

[Finalmente "descobriram" isso.]

s0u4t3u via ateularia.posterous.com

[RN] QUADRINHOS DE IGREJA PODE LEVAR PASTOR A PROCESSO

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

NOTÍCIAS GOSPEL, 31-10-2011

PASTOR PODE SER PROCESSADO POR CAUSA DE PANFLETO ANTI-HALLOWEEN

Igreja foi obrigada a se desculpar por imagens violentas

Pastor pode ser processado por causa de panfleto anti-Halloween

Um pastor batista da cidade de Hillsboro, estado do Ohio, teve de pedir publicamente desculpas aos vizinhos da sua igreja.  Por ocasião do Halloween, é costume de muitos cristãos distribuírem panfletos religiosos ao invés de doces para as crianças no chamado “Dia das Bruxas”.

Já que a maioria dos cristãos se opõe ao festejo, é comum fazerem campanha contra a data. Mas alguns pais das crianças que moram nas redondezas da igreja afirmam terem sido ofendidos pelo que seus filhos trouxeram para casa nos últimos dias.

Um deles pareceu especialmente indignado por seu filho de 3 anos receber uma “mensagem de ódio” que foi dada quando apenas pedia doces.

O folheto que levava o carimbo da igreja e causou a controvérsia é uma história em quadrinhos contendo uma mensagem contra o Halloween na qual uma criança aparece se suicidando em uma das páginas.

Ao total, são três crianças que morrem numa vingança de Deus contra a mãe que não quis aceitar a palavra de salvação. No final da história, ela dobra seus joelhos e pede perdão, mas não sem ver os filhos morrerem de forma trágica.  Entre os versículos impressos na história em quadrinho faz referencia ao livro bíblico de Jó, que também perdeu seus filhos.

Depois de sentirem que seus filhos foram expostos a imagens “chocantes” e “ameaçadoras”, alguns pais estão falando em processar o pastor Kenny Cousar e a Igreja Batista em Northview.

Ele declarou ao jornal The Sunday Times-Gazette que a igreja não foi tão cuidadosa quanto deveria e que não teve a intenção de ofender ninguém. “Nós estamos profundamente tristes por isso. Fomos descuidados. Não prestamos atenção no que diziam todos os panfletos. Nós não os criamos, compramos porque eram em formato de quadrinhos e achamos que as crianças e adolescentes gostariam deles . Agora, olhando bem…  eu tenho filhos pequenos, e não gostaria que eles vissem essas imagens. Não apoio essa metodologia de intimidação divina retratada aqui”.

Os folhetos em questão são produzidos pela editora Chick, famosa pelas mensagens contundentes, que sempre mostram Deus julgando as pessoas e como seria o inferno.

A controvérsia é por causa da história intitulada “Mamãe Malvada”. Na história contada ali, ela perde os três filhos em condições chocantes, um bate o carro, outro se suicida e o terceiro é apanhado por um tornado. Tudo porque ela se recusa no início da narrativa a crer em Jesus.

“Nosso objetivo é levar o evangelho. Fazemos isso todos os anos e geralmente temos uma boa resposta… Isso definitivamente foi minha culpa e garanto que não vai acontecer novamente.” Cousar explicou que igreja distribuiu mais de dois panfletos de vários títulos diferentes na noite do dia 30, data que antecede o Halloween.

Traduzido e Adaptado por Gospel Prime de Times Gazette

[i]

http://noticias.gospelprime.com.br/pastor-pode-ser-processado-por-causa-de-panfleto-anti-halloween/

[Caramba… enforcamento para crianças… vixe… é tragicômico.]

s0u4t3u via ateularia.posterous.com

[RN] BISPO CONDENADO A PAGAR R$ 940 MIL

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

JORNAL DO COMÉRCIO, 31-10-2011

CONDENADO A PAGAR R$ 940 MIL, ARCEBISPO LANÇA CARTA AO JUDICIÁRIO

MARCELO G. RIBEIRO/JC

Arcebispo acusa juízes e advogados de corrupção em processo iniciado na década de 1990
Arcebispo acusa juízes e advogados de corrupção em processo iniciado na década de 1990

Em entrevista coletiva realizada na tarde de segunda-feira (31), o arcebispo da Arquidiocese de Porto Alegre, dom Dadeus Grings, lançou a carta "Judiciário invade jurisdição da Igreja", na qual faz críticas ao judiciário por conta de uma ação de danos morais pela qual foi condenado, juntamente com a Diocese de São João da Boa Vista, a pagar R$ 940 mil reais.

O processo decorre da década de 1990, quando dom Dadeus, atendendo ao pedido da população de Mogi Guaçu (SP), posicionou-se a favor de uma obra da prefeitura local. O entrave era um terreno. A família envolvida ingressou na justiça sentindo-se prejudicada e pedindo indenização em valor "dez vezes acima do normal". A Ação já chegou ao fim e definiu uma parte superior a R$ 500 mil a ser paga por dom Dadeus e o restante pela Diocese de São João da Boa Vista.

Ele classificou a decisão como uma "agressão", "arbitrária" e "impraticável". O arcebispo de Porto Alegre afirmou não ter recursos para pagar a soma definida pela justiça, ao mesmo tempo em que parafraseou São Gregório VII para definir sua postura diante do ocorrido: "porque amei a justiça e odiei a corrupção, fui condenado pelo judiciário brasileiro".

O arcebispo revela que "diante da gravidade do assunto" escreverá uma nova cartilha para apontar "as mazelas do Judiciário" e assim colaborar na sua "urgente reforma". "Ou o Brasil muda o Judiciário ou o Judiciário acaba corrompendo o Brasil", conclui. No texto, o arcebispo classifica o fato como mais um entre os tantos exemplos da"indústria das indenizações".

Ele ainda pede que a presidente Dilma Rousseff proceda com o judiciário da mesma forma com que trata os ministros acusados de corrupção.

"Se me quiserem prender – conforme o Advogado querelante há 14 anos preconizava, – estou às ordens. Só assim o mundo saberá quanto nosso Judiciário é corrupto e arbitrário", conclui dom Dadeus.

Leia a carta na íntegra:

JUDICIÁRIO INVADE JURISDIÇÃO DA IGREJA

Dom Dadeus Grings, Arcebispo de Porto Alegre

Chegou ao fim mais um capítulo da agressão do Judiciário contra a Igreja Católica. Após 16 anos de tramitação, o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou-me, juntamente com a Diocese de S. João da Boa Vista, onde fui Bispo de 1991 a 2000, a pagar uma indenização, por danos morais, no montante de R$ 940.000,00, reforçando o que se chama de "indústria das indenizações", com bases totalmente arbitrárias e impraticáveis. Volta à mente a questão dos precatórios! Que cidadãos recorram ao Judiciário para dirimir suas questões é de direito, mas que o Judiciário não distinga o certo e do errado, a verdade da falsidade, não tenha critérios objetivos para julgar e, principalmente, não reconheça os limites de sua jurisdição nem siga os Acordos internacionais, põe toda a sociedade em risco. O problema da corrupção no Brasil tem sua base exatamente ali, no Judiciário. Todos sabem disso, nas poucos têm coragem de denunciá-lo! Nossa Presidente começou a faxina no Executivo. Quando será a vez do Judiciário, onde o problema é muito mais grave?

Eis o fato: Na década de 90, no Município de Mogi Guaçu, SP, concluiu-se um clamoroso processo judiciário que, por razões que chamei de falta de lisura, demorou mais de 10 anos. Sob ameaça de intervenção, foi decretada uma indenização milionária, dez vezes acima do real.. Diante da calamidade pública, alguns cidadãos recorreram a mim, como Bispo da região. – Lembre-se o provérbio que, diante de problemas insolúveis, se manda queixar-se ao Bispo – Trouxeram-me o volumoso processo, que li estarrecido. Escrevi, em conseqüência, diversos artigos, fazendo ponderações em defesa do Município. Não agi em causa própria. Em reconhecimento o Município outorgou-me, solenemente, o título de Cidadão. A sociedade aplaudiu minha intervenção. A família envolvida, porém, me entregou pessoalmente, na Igreja da Imaculada, uma carta, declarando-se atingida, mesmo que não a tivesse nomeado. Respondi, em carta particular, reconhecendo ser justo reivindicar o que de direito, mas não dez vezes mais. Tinha em mãos o relatório das dificuldades das negociações. Adverti que seus advogados, com suas invectivas, "não me deixavam a impressão de lisura". Por esta expressão, nesta carta não publicada, sou condenado a pagar R$ 940.000,00, a título de danos morais. É justo?

Era obrigação minha, de pastor, orientar a referida família e chamar a atenção aos desvios. Ela, pelos vistos, passou a carta aos seus advogados que, a partir de então, começaram a me atacar, tanto por jornais como pelo rádio e televisão, culminando num duplo processo. Chegaram a afirmar que eu poderia ser condenado de dois a três anos de prisão, provocando celeuma entre a população, que, em conseqüência, promoveu um ato público de desagravo em meu favor.. Tive, por isso, que esclarecer a opinião pública.

O judiciário, em nenhum momento, examinou a lisura dos advogados, para ver se a impressão que eu tivera era correta. O judiciário nunca procurou investigar acerca dos ataques que os advogados dirigiram contra mim e as calúnias que proferiram. Se sofreram "danos morais", foi pelas agressões e pelo processo que eles promoveram contra ao Bispo e a Diocese. Desde o início, o Judiciário se mostrou parcial, em defesa de "sua gente".

O montante da indenização ultrapassa qualquer bom senso. Vê-se que os Juizes estão desligados da realidade. Os ministros da Igreja católica não recebem salários polpudos, como eles, nem amealham fortunas.

O que, porém, leva a dizer um redondo e sonoro não à sentença condenatória e dar um basta aos desmandos do Judiciário é sua invasão no campo da jurisdição da Igreja. O Judiciário não reconhece seus limites. Em primeiro lugar, os juizes bem sabiam que os querelantes buscavam lucro fácil. Alexandre Jobim classifica a indústria da indenização como "artimanha de algumas pessoas para ganhar dinheiro" E por incrível que pareça, obtêm, com facilidade, o aval do Judiciário. Arrolaram a Diocese para garantir o dinheiro, com o objetivo de arrancá-lo do povo católico. Com isto reconheceram, publicamente, que estavam invadindo a missão específica da Igreja e não de um cidadão particular. O Judiciário se joga, pois, diretamente contra a Igreja. Contraria frontalmente sua missão profética de se pronunciar sobre questões de ordem social e moral.. Na verdade o Judiciário quer silenciar a Voz da Igreja frente ao bem comum, como tenta com a imprensa, para acobertar a corrupção no país.

Em segundo lugar, os juizes acintosamente não respeitaram o Acordo entre a Santa Sé e o Brasil, assinado solenemente em Roma, no dia 13 de novembro de 2008, já ratificado pelo Congresso nacional. Trata-se de um acordo internacional, de respeito mútuo das competências. Não pode ser desrespeitado impunemente.

Não posso, por coerência e dever de consciência, acatar esta sentença inválida e desrespeitosa porque contrária aos requisitos do direito nacional e internacional, como intromissão – e não é a primeira – nos assuntos internos e na competência da Igreja. Estou disposto a dar a vida por esta causa.. Se me quiserem prender – conforme o Advogado querelante há 14 anos preconizava, – estou às ordens. Só assim o mundo saberá quanto nosso Judiciário é corrupto e arbitrário.

Diante da gravidade do assunto escreverei nova cartilha para apontar as mazelas do Judiciário e assim colaborar na sua urgente reforma. Ou o Brasil muda o Judiciário ou o Judiciário acaba corrompendo o Brasil. Parafraseando S. Gregório VII, posso dizer: "porque amei a justiça e odiei a corrupção, fui condenado pelo Judiciário brasileiro". Deus nos proteja e guarde!

Apelo para o Supremo Tribunal de Jesus Cristo, o Justo Juiz!
[i]
http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=77451

[Prende ele! E agora, heim? Vai levantar o acordo Brasil com a "Santa Sé"? kkkkk. Acho é pouco…] s0u4t3u via ateularia.posterous.com

[RN] ABGLT CONTRA OFENSAS A GAYS, NA TV

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

NOTÍCIAS GOSPEL, 31-10-2011

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DOS GAYS TENTA PROIBIR PROGRAMAS EVANGÉLICOS NA TV

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) solicitou ao ministro das comunicações, Paulo Bernardo, que tome providências…

Associação de defesa dos gays tenta proibir programas evangélicos na TV

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) solicitou ao ministro das comunicações, Paulo Bernardo, que tome providências em relação à utilização de concessões públicas de televisão para incitar a violência contra a população LGBT.

O argumento da ABGLT é que ofensas aos homossexuais em emissoras de TV são frequentes, em especial nos programas religiosos transmitidos em rede aberta.

A solicitação ao Ministério das Comunicações na última semana usa como argumento principal as declarações do pastor evangélico Silas Malafaia no programa “Vitória em Cristo”, veiculado pela Bandeirantes e pela RedeTV.

Toni Reis, presidente da ABGLT, justifica o pedido: “O Malafaia vinha nos ofendendo em várias situações nos seus programas. Só que agora ele incentiva à violência, diz para abaixar o porrete na gente. Por isso pedimos providências ao Ministério das Comunicações e ao Ministério Público também”.

A ABGLT está reivindicando punições às emissoras que levem ao ar declarações ofensivas aos direitos homossexuais, desejando que se iniba tal prática nos meios de comunicação. Reis explica que a iniciativa veios depois de participação de sua entidade na Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). “Agora sabemos que os meios de comunicação são concessões públicas, por isso não podem utilizar este espaço público para ofender as pessoas”, explica o presidente Reis.

Mas em relação a outros programas, ele afirma que a associação consegue resolver de maneira amigável: “Temos uma coleção de situações que se resolveram com o diálogo. Teve ocasiões, por exemplo, em que o Datena, apresentador da Bandeirantes, foi infeliz em suas declarações a respeito de homossexuais, o Faustão também, e só com o diálogo que fizemos essas pessoas perceberam que estavam incorrendo numa situação de discriminação e passaram a respeitar mais a gente”.

Porém, Toni Reis diz que nunca houve disposição do pastor Silas Malafaia para o diálogo. Por isso a ABGLT decidiu buscar as próprias emissoras e pedir providências ao Ministério das Comunicações.

“Nós entramos também com uma ação no Ministério Público Federal e vamos utilizar todos os meios legais a que tivermos acesso. A nossa ideia é de não judicializar tudo, é de primar sempre pelo diálogo, mas a partir do momento em que isso se fizer necessário, vamos fazer, sem sombra de dúvida”, conclui Toni.
Até agora, nem o pastor Silas Malafaia nem o Ministério das Comunicações se pronunciaram sobre o assunto.

Há outras ações similares em andamento. Na Paraíba, o Ministério Público Federal propôs uma Ação Civil Pública (ACP) contra a TV Correio, afiliada da TV Record. O motivo foi à exibição de cenas reais do estupro de uma adolescente no programa Correio Verdade, veiculado 12h e 13h. A ação também foi ajuizada contra a União, por ser a titular da concessão de radiodifusão.

Segundo Duciran Farena, o procurador do MP que subscreve a ação, a emissora já é reincidente em casos de violação aos direitos humanos no  “vale tudo” pela audiência.

Farena acredita que as emissoras abusam desse tipo de programação porque não há regulação para a mídia no país. “Provavelmente trata-se do único setor concedido sobre o qual o poder público não tem nenhum poder disciplinar sobre os prestadores do serviço… Lamentavelmente, a imprensa, especialmente a televisão brasileira, não quer nem ouvir falar nisso – qualquer proposta neste sentido, por mais razoável e justa que seja, é imediatamente qualificada pela mídia de censura, chavismo, nazismo”, reclama  o procurador.

Com informações Direito à Comunicação

[i]

http://noticias.gospelprime.com.br/associacao-de-defesa-dos-gays-tenta-proibir-programas-evangelicos-na-tv/

[O título da notícia é dramático, eita.]

s0u4t3u via ateularia.posterous.com

[RN] VEREZA: “EXTRATERRESTRES … LIMPANDO A CROSTA TERRESTRE”

novembro 1, 2011 § Deixe um comentário

IG, 01-11-2011

CARLOS VEREZA: 'VI DISCOS VOADORES E ELES SABIAM QUE ERAM VISTOS'

Ator, que é espírita, diz sentir energia das pessoas, escreve livro e cede ao iG vídeo em que avista supostos OVNIs no Rio. Comente

Valmir Moratelli

Carlos Vereza concede a entrevista a seguir em seu apartamento, no 13º andar de um prédio cuja varanda tem ampla vista para a praia da Barra da Tijuca e a Pedra da Gávea, no Rio. É desta mesma varanda que o ator diz já ter avistado diversos discos voadores. Com ajuda do assessor pessoal, Roberto Ricardo, filmou pelo celular o que seriam alguns deles e cedeu ao iG as imagens. “Os extraterrestres estão limpando a crosta terrestre das explosões atômicas que acontecem no sul do oceano pacífico”, diz, enfático.

Ator contratado da TV Globo – vai fazer a próxima novela das 6 -, prestes a completar 53 anos de carreira, com prestígio nacional construído a partir de memoráveis papéis na televisão, premiado no teatro e com atuação marcante também no cinema, Vereza pretende lançar até março, quando completa 71 anos, o livro “Efeito Especial – Estilhaços Biográficos. Vida Privada de Karl Marx”.

Seu contato com o espiritismo, religião que segue até hoje, surgiu a partir de um incidente ocorrido durante a gravação do seriado “Delegacia de Mulheres”, da TV Globo, há 22 anos. “Explodiu pólvora no meu ouvido esquerdo e, por causa disso, fiquei três anos em depressão e internado em vários sanatórios”, conta. O episódio é relatado com detalhes em seu livro.

Divorciado, Vereza mora sozinho com uma empregada. Na sala do apartamento, entre outras, há imagens de Nossa Senhora da Conceição, de uma figura indiana, uma estátua de São Jorge. Pede para que nenhuma das imagens seja fotografada, “em respeito a elas”.

Entre uma xícara de café e outra, Vereza conta que é médium intuitivo. Relata que espíritos batem a sua porta, o chamam pelo seu nome, acendem e apagam a luz, ligam o computador. “Não tenho medo de que me achem louco”, diz o ator. Ele tem muita fé em sua religião, mas diz que não pede ajuda para compor seus personagens. “Aí é o talento que Deus me deu”.

Foto: Selmy Yassuda

Carlos Vereza, 70 anos

iG: Por que detalhar em um livro o episódio que afetou sua audição?
CARLOS VEREZA:
O acidente mudou minha vida. Ouvia um zumbido fortíssimo que me causou depressão, labirintite, insônia Acabou meu casamento de 15 anos (com a artista plástica Delma de Oliveira Godoy). Ficava só deitado, igual a um vegetal. Foi quando minha tia falou para eu ir ao Lar do Frei Luiz (centro espírita na zona oeste do Rio), que tinha curado meu primo de leucemia.

iG: Qual é a relação da sua depressão com a “vida privada de Karl Marx”, subtítulo do livro?
CARLOS VEREZA:
Fui do Partido Comunista por 15 anos, mas nunca fui ateu, por não acreditar no mundo como obra do acaso. Ia às reuniões do partido com a medalhinha de São Jorge. Gosto da história de vida do Marx que, ao contrário dos comunistas amigos do Lula, morreu na miséria e teve duas filhas que se suicidaram. Faço um paralelo da utopia dele, contando o ser humano que ele foi.

iG: Mas o senhor trocou o comunismo pelo espiritismo?
CARLOS VEREZA:
Deixei de ser comunista quando a União Soviética invadiu a Hungria. Me tornei espírita quando me curaram, sem me cobrarem absolutamente nada. Ciência, filosofia e religião são o tripé do espiritismo, que foi decodificado por um cético chamado Alan Kardec. Os fenômenos paranormais existem desde que o mundo é mundo. A primeira psicografia do mundo foi a tábua dos Dez Mandamentos.

 iG: Já presenciou algum fenômeno paranormal?
CARLOS VEREZA:
Vários, vários, vários. Lá no Frei Luiz temos a sessão de materialização. O médico deita numa cabine, expele um ectoplasma e, dele, se forma um espírito materializado. Em carne e osso. Este espírito traz do plano astral aparelhos de laser para o tratamento de quase 40 pessoas em cerca de uma hora. O médico fica em transe. O ectoplasma é composto por gás carbônico, hidrogênio, oxigênio…

iG: Sei.
CARLOS VEREZA:
O espírito vem com uma capa branca que parece de algodão. Teve um dia em que ele deixou a capa branca para a gente. Já tive um pedacinho desse pano, mas é que aqui em casa tudo some… É uma tolice achar que só existe a matéria. Taí a física quântica para mostrar que passado, presente e futuro estão num só plano.

iG: Tem algum poder sobrenatural?
CARLOS VEREZA
: Todo mundo tem mediunidade, só que nem todos desenvolvem. Tem o vidente, o audiente (que ouve vozes de espíritos), o psicógrafo, o “vista dupla” (que vê pessoas ao seu lado que você não enxerga)… Todos nós somos videntes. Dizem que sou médium intuitivo. Eu pressinto, mas não sou nenhum profeta.

iG: Explique melhor.
CARLOS VEREZA
: Sinto a vibração das pessoas que entram na minha casa.

iG: E o que sentiu quando chegamos?
CARLOS VEREZA:
Boa, boa, boa… Muito boa.

Foto: Selmy Yassuda

"Nunca vi nenhum espírito, mas já senti. Às vezes escuto o meu nome, 'Caaarlos', bem nitidamente"

iG: O senhor vê pessoas mortas?
CARLOS VEREZA:
Nunca vi nenhum espírito, mas já senti. Às vezes escuto o meu nome, “Caaarlos, Caaarlos”, bem nitidamente. Às vezes eles batem na minha porta. Quando vejo, não tem ninguém. Já nem abro mais a porta, já estou acostumado de tanto que batem. Eles queimam interruptores, acendem a luz do nada… Mas isso não é todo dia. Queria falar também que tenho uma relação muito forte com ufologia.

 iG: É?
CARLOS VEREZA:
Já vi vários discos voadores que saem da Pedra da Gávea. Eu lhe mostro agora no meu laptop o vídeo que fiz quando dois discos apareceram aqui perto.

iG: Qual é a relação da ufologia com a mediunidade?
CARLOS VEREZA:
Total. Perguntei a um espírito qual é a diferença entre um alienígena e um espírito. Ele falou “nenhuma”. Os extraterrestres do bem estão limpando a crosta terrestre das bombas atômicas que explodem no sul do oceano pacífico. Depois reclamam que as placas tectônicas estão se batendo no fundo do mar.

iG: As placas tectônicas se movem desde que o planeta foi formado.
CARLOS VEREZA:
Elas se movem sempre, mas não a ponto de provocar terremotos que matam 300 mil pessoas e formar ondas de tsunami que matam outras milhares de pessoas. Com suas naves, eles limpam a crosta terrestre e mandam advertências seriíssimas para a gente.

iG: Como quais?
CARLOS VEREZA:
Com estas explosões, o eixo da Terra se verticalizou. Houve a mudança do eixo da Terra. Tudo é quântico, mexe com a cabeça da humanidade. Pai que mata filho, garoto de dez anos que atira na professora… Esta loucura do planeta que a gente vive… Tudo é ligado às placas tectônicas e ao universo. Não é preciso ver para saber. Tenho certeza de que nossos anjos da guarda e outros espíritos estão aqui agora ouvindo nossa conversa. Tenho certeza como eu me chamo Carlos.

iG: Estes espíritos são os mesmos que acendem a luz e batem à porta?
CARLOS VEREZA:
Dependendo da visita, até o computador liga sozinho. Isso tudo é trabalho científico, que está sendo estudado por acadêmicos. Sonia Rinaldi, da USP, grava vozes de espíritos pelo rádio, é a transcomunicação. Coloca isso, porque se não vão dizer “Vereza está maluco, só fala besteira”.

Foto: Selmy Yassuda

"Tenho certeza de que nossos anjos da guarda e outros espíritos estão aqui agora ouvindo nossa conversa"

iG: O senhor pede ajuda espiritual para compor personagens?
CARLOS VEREZA:
São 53 anos de carreira que vou fazer em dezembro, meu filho. Aí é o talento que Deus me deu, né? Para você cair logo desmaiado, leia esta mensagem em voz alta (Vereza entrega ao repórter um texto “psicografado”, atribuído por ele à autora de novelas Janete Clair, falecida em 1983).

iG: Voltando à ufologia, como avistou OVNIs?
CARLOS VEREZA:
O grande avistamento foi em 1997. Eu, minha filha Larissa, minha amiga médium Márcia Zenkye, o marido dela Josué, que é comissário de bordo, estávamos na varanda do apartamento, quando vimos mais de dez discos passando bem próximo, em velocidade inacreditável. Demorou mais de três horas. Eles vinham e iam, como se mergulhassem no mar.

iG: Foi só esta vez?
CARLOS VEREZA:
Não. Há um ano e meio, o Roberto falou que estava vendo uma coisa na direção da Pedra da Gávea. Fui ver e falei: “Ih, Roberto. Aquilo está parecendo disco. Corre e pega seu celular”. Ele demorou a achar o celular. Os objetos não correram. Me deu a impressão de que eles sabiam que estavam sendo vistos e queriam que fossem registrados. Tem um mistério em torno da Pedra da Gávea.

iG: Diz a lenda que os fenícios…
CARLOS VEREZA
: Diz não, eles estiveram ali. Há quinze mil anos. O Brasil não começou agora (Vereza mostra o vídeo dos OVNIs no seu laptop).

iG: Não ficou com medo?
CARLOS VEREZA:
Ficamos de mãos dadas chorando. Eles passam alguma coisa inexplicável de emoção. Se ampliar a imagem, você vê até a cabine deles. Calculo que estivessem a 40km/h. Não é avião, sonda, nem helicóptero. Ia mandar para o Fantástico, mas não divulguei, porque sempre aparece alguém dizendo que é balão meteorológico. Mas autorizo você a divulgar, estou na vida para colocar a cara a tapa.

iG: As pessoas podem achá-lo louco.
CARLOS VEREZA:
Já falei aqui para você muita coisa que as pessoas não vão acreditar. Falei de espírito, de ectoplasma, de materialização… Não tenho medo do que vão dizer. O lugar que mais aparece disco é o México, é coisa impressionante. O Vaticano já chama os extraterrestres de irmãos. Você nunca ouviu falar nos tapetes voadores das “Mil e Uma Noites”? Então… Era o vocabulário da época.

Foto: Selmy Yassuda

O ator está preparando um livro de momórias. "São fragmentos", explica

iG: Que outros fenômenos o senhor já presenciou?
CARLOS VEREZA:
Meses depois deste vídeo, um colega meu dormia aqui, era quase seis da manhã, quando os discos passaram. O gravador ligou sozinho e começou a transmitir vozes. Passou do português ao castelhano, depois para inglês. Não deu para entender bem. O que me fez concluir que a velocidade deles é tão absurda, que eles trocam de idioma conforme passam pelos países.

iG: Imagino.
CARLOS VEREZA:
O mundo é muito complexo, rapaz. Não é só pegar o carro, ir trabalhar e voltar para casa, não. Os iogas levitam na água, na Índia. É o domínio de leis da natureza que foge do nosso conhecimento. Galileu quase foi queimado porque dizia que a Terra não era o centro do universo. Assim vai a vida.

iG: Há alguns meses, entrevistei o cantor João Bosco, que confessou morrer de medo do fim do mundo. Ele acredita que um meteoro vai se chocar com a Terra em 2029. Há motivos para tal pânico?
CARLOS VEREZA:
Meu querido João Bosco, o mundo enquanto bola não vai acabar. Haverá uma transformação de dogmas e conceitos em 2012, porque estamos entrando na Era de Aquário. São mudanças para o bem, algumas até geográficas, mas a humanidade vai levar um susto para que tenhamos paz no futuro. 

Foto: Selmy Yassuda

s0u4t3u via ateularia.posterous.com

%d blogueiros gostam disto: