RELIGIAO QUER CURAR? HOMOSSEXUALIDADE COM IPHONE

março 21, 2011 § Deixe um comentário

PÚBLICO, 21-03-2011

100 MIL ASSINARAM PETIÇÃO CONTRA APLICAÇÃO ANTI-GAY PARA IPHONE

A Apple está a ser alvo de críticas por ter aprovado uma aplicação que permite o
acesso a conteúdos de uma organização americana que defende a “libertação” da
homossexualidade por via da religião.

A Apple é conhecida por ser criteriosa nas aplicações que disponibiliza
(Reuters)

À data de publicação deste artigo, 100 mil pessoas tinham assinado uma petição
online, dirigida a responsáveis da Apple, entre os quais Steve Jobs, onde é
pedida a remoção da aplicação. Ao longo da última hora, o texto conseguiu duas
mil novas suibscrições

A empresa tem também sido fortemente criticada na Web e ainda nos comentários à
aplicação, na própria loja do iTunes.

A aplicação em causa, que é gratuita, permite, no iPhone, iPod Touch e iPad, o
acesso a notícias, calendário de eventos e outra informação da Exodus
International. “Com mais de 35 anos de experiência, a Exodus está empenhada em
encorajar, educar e equipar o Corpo de Cristo para lidar com a questão da
homossexualidade com graça e verdade”, lê-se na página da aplicação.

A petição acusa a Exodus de ser uma organização “fanática”, aponta para as
possíveis consequências negativas das tentativas de “cura” da homossexualidade
(particularmente em jovens) e critica a Apple – que é conhecida por ser muito
criteriosa nas aplicações que disponibiliza na sua loja – por ter aceite a
aplicação, classificando-a como apropriada para maiores de quatro anos, o que
significa, de acordo com a classificação da empresa, que não tem conteúdos
problemáticos.

“A Apple não permite aplicações racistas ou anti-semitas na sua loja”, lê-se na
petição. “Mas está a dar luz verde a uma aplicação que dirige a LGBT jovens e
vulneráveis a mensagen de que a sua orientação sexual é `um pecado que tornará o
teu coração doente'”.

“É preciso dizer à Apple, alto e bom som, que isto é inaceitável”, defende o
texto.

A Apple já tinha tido um problema semelhante, com uma aplicação contra o
casamento de pessoas do mesmo sexo, que acabou por ser retirada, por, segundo a
empresa, ser “ofensiva” para um grande número de pessoas.

Ainda não houve um comentário da empresa às críticas.

[i]

http://www.publico.pt/Tecnologia/100-mil-assinam-peticao-contra-aplicacao-antiga
y-para-iphone_1486023

O CRIACIONISMO DO PORTAL BRASILESCOLA

março 19, 2011 § Deixe um comentário

BRASIL ESCOLA, 20-03-2011

O CRIACIONISMO E O PENSAMENTO MÍTICO

Os mitos criacionistas permitem o conhecimento de diferentes culturas.

No trabalho com os primeiros temas históricos, a origem do homem é usualmente
tomada pelo clássico trabalho em sala de aula em que o professor trabalha as
teorias criacionista e evolucionista. Por costume ou displicência, o professor
acaba limitando a explicação criacionista na história onde Deus criou a terra em
seis dias. No entanto, podemos apresentar ao aluno como as mais diferentes
culturas puderam explicar a questão da origem do homem.

É necessário que os alunos sejam apresentados ao conceito de “mitologia” para
que consigam entender melhor o assunto. Levantando as idéias que os alunos têm
sobre essa palavra, o professor apresenta uma explicação mais simples e direta
do termo. Durante a definição é de suma importância destacar a proximidade da
explicação dos alunos com a explicação proferida. Outro ponto muito importante é
destacar que o mito não pode ser compreendido como uma simples mentira.

O professor deve assinalar que os métodos científicos se desenvolveram a pouco
tempo na história do homem. Depois disso, o professor pode enfatizar que a
necessidade de explicação dos fenômenos naturais e experiências humanas são
muito anteriores ao surgimento da ciência. Além disso, o professor deve explicar
que o pensamento mítico não foi expurgado da história, sendo uma forma de
explicação ainda recorrente nas simpatias e superstições ainda praticadas por
muitas pessoas.

Apresentadas essas primeiras facetas do assunto, o professor tem condições para
levantar a questão sobre como cada uma das culturas do mundo tentou explicar as
origens da raça humana. Nesse momento é importante reforçar que as visíveis
diferenças culturais entre as civilizações indicam a possibilidade de existirem
diferentes concepções para um mesmo assunto.

É recomendável a apresentação de alguns trechos do filme “A culpa é do Fidel”
para demonstrar essa questão da diferença das explicações mitológicas sobre a
origem do homem. Em diversos trechos da história, a personagem principal do
filme, uma criança de nove anos, é apresentada a diferentes mitos criacionistas
contados pelas babás que tomam conta dela ao longo do tempo.

Após a apresentação de trechos do filme, os alunos estariam prontos para
realizar uma atividade onde deveriam pesquisar diferentes mitos criacionistas.
Não privilegiando somente a produção escrita, o professor pode dar liberdade
para que as histórias pesquisadas pelos alunos possam ser contadas por meio de
colagens ou desenhos. Depois do recebimento dos trabalhos os mesmos devem ser
expostos na escola, valorizando o esforço da classe.

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

[i]

http://educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/o-criacionismo-pensamento-mi
tico.htm

[O físico Marcelo Gleiser já tinha denunciado o criacionismo do portal.]

Eve, a ateia: anti lógica religiosa

março 17, 2011 § Deixe um comentário

anti lógica religiosa

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com absurdo em Ateularia.

%d blogueiros gostam disto: