TOPLESS LESBICO EM CAPELA DEIXA ICAR INJURIADA

março 18, 2011 § Deixe um comentário

PARACLITOS, 18-03-2011

ATO SACRÍLEGO REALIZADO EM CAPELA CATÓLICA NA ESPANHA POR LÉSBICAS

MENDES SILVA I.

70 jovens foram a uma capela da Universidade Complutense de Madrid proferindo
insultos contra a Igreja Católica, o Papa e o clero, enquanto algumas garotas
que faziam parte da profanação se despiram da cintura para acima ao redor do
altar ante os aplausos do resto.

Conforme assinala o jornal espanhol ABC, uma aluna da faculdade de ciências
econômicas que foi testemunha dos fatos e que estava rezando na capela do campus
de Somosaguas da universidade madrilenha, disse que duas das jovens ao redor do
altar “fizeram alarde de sua tendência homossexual”.

Os vândalos ingressaram com um megafone até a sala de espera da capela. O
capelão se precaveu do barulho e tentou detê-los mas foi sacudido.

No lugar os agressores leram textos e frases que, diziam, eram de autores
cristãos sobre a mulher. Também deram leitura a um manifesto com afirmações e
julgamentos contra a Igreja e seus ensinamentos e puseram pôsteres nos murais da
entrada à capela, e nos bancos da mesma. Tudo foi fotografado e filmado. Aqui
podem ser vistas algumas fotos

Uma aluna da universidade citada pela ABC sem dar seu nome assinalou que “à
margem das crenças religiosas de cada um `destes’, não resisto em elevar a voz
ante um fato tão lamentável como este. O que teria acontecido se algo assim
acontecesse em uma mesquita? Que `esses’ saibam que os católicos nunca
responderão à provocação com provocação para defender-se”.

“Ninguém poderá nos calar, ante o mais mínimo atropelo, brincadeira, intimidação
ou qualquer outra obrigação ilegítima que ofenda os sentimentos religiosos de
ninguém. Além disso, ações como estas estão castigadas por nosso ordenamento
jurídico. Como é fácil e covarde atuar no anonimato!”, acrescentou.

O Reitorado da Universidade Complutense condenou a profanação da capela do
campus de Somosaguas e anunciou uma investigação “para delimitar possíveis
responsabilidades”.

“Este Reitorado reitera a necessidade de manter o respeito à pluralidade de
cultos e crenças religiosas e faz uma chamada à tolerância e à convivência ante
as expressões das mesmas. A neutralidade do Estado em matéria religiosa
significa que não se pode impor nem perseguir crença alguma. A tolerância e o
respeito são absolutamente indispensáveis”, indica o comunicado.

O jornal ABC assinala que esta agressão não é nova já que ao início da semana as
paredes e portas do recinto apareceram pichadas com insultos para os católicos
(como se vê na foto).

Rechaço da Arquidiocese de Madrid

Em uma nota de imprensa divulgada ontem, o Arcebispado de Madrid rechaçou a
profanação da capela do campus de Somosaguas da Universidade Complutense de
Madrid.

No texto se destaca que “diante destes fatos absolutamente reprováveis, que são
objeto de delito, e que denigrem em primeiro lugar quem os comete, o Arcebispado
de Madrid elevou sua queixa ao Reitorado da Universidade”.

Deste modo o Arcebispado denunciou que “estas ações são um atentado à liberdade
de culto e uma profanação de um lugar sagrado, o qual suporta penas canônicas no
caso de que aqueles as cometeram estejam batizados”.

Finalmente a nota afirma que “é indigno que, em uma sociedade democrática onde
se pede o respeito às pessoas, às instituições religiosas e ao direito da
celebração pública da fé na Universidade Complutense -com a que a Igreja mantém
uma estreita e amigável relação de colaboração-, alguns jovens possam manchar
com este tipo de comportamentos o bom nome e trabalho da comunidade
universitária”.

Clique Aqui para protestar contra esta blasfêmia, exigindo ao reitor da
Universidade 1) a identificação dos estudantes que participaram do vandalismo;
2) o auxílio à polícia na obtenção do material que comprove o crime; 3) o
fechamento desta citada associação de estudantes; e 4) a expulsão do líder
(máximo responsable) da manifestação.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
por ACI Digital

[i]

http://www.paraclitus.com.br/2011/blog/ato-sacrilego-realizado-em-capela-catolic
a-na-espanha-por-lesbicas/

Anúncios

PERU: BEIJOS CONTRA A HOMOFOBIA NA CATEDRAL DE LIMA

março 7, 2011 § Deixe um comentário

ACI DIGITAL, 17-02-2011

POLÊMICA PELO DESALOJAMENTO DE GAYS QUE INVADIRAM O ÁTRIO DA CATEDRAL DE LIMA EM
“BEIJO MASSIVO”

Um grupo de policiais desalojou à força a uma dezena de casais homossexuais que
se beijavam na escadaria da Catedral de Lima (Peru) no sábado passada 12 de
fevereiro, como parte de um protesto contra aqueles que se opõem a legalizar as
uniões entre pessoas do mesmo sexo.

Embora o Movimento Homossexual de Lima (MHOL) convocou a um ato público
denominado “Beijos contra a homofobia” na Praça de Armas da cidade, onde se
localiza o Palácio de Governo, a Municipalidade e a Catedral de Lima, na prática
os manifestantes se concentraram no átrio do templo maior.

Depois do desalojamento foi apresentada uma denúncia por agressão e abuso de
autoridade contra a polícia em uma delegacia local.

Conforme informa o jornal La Republica, o representante do MHOL, Giovanni
Romero, anunciou uma nova convocatória para este sábado 19 de fevereiro às 5:00
p.m. no mesmo lugar, denominada “O Beijo contra a Homofobia, a Resistência”.
Esta vez esperam reunir a casais homossexuais, heterossexuais, transexuais e
lésbicas, dispostos a beijar-se em público durante 15 minutos.

O Ministro do Interior, Miguel Hidalgo, anunciou ontem 15 de fevereiro que
investigarão os fatos do sábado e sancionarão os policiais que desalojaram com
violência os manifestantes que invadiram a escadaria da Catedral.

Entretanto, o funcionário não anunciou se adotará alguma medida para que não se
repita a invasão do átrio do templo.

Uma pesquisa online do jornal La Republica revela que 55 por cento dos peruanos
não está de acordo com a sanção aos policiais. Sondagens similares e múltiplos
comentários em distintos web sites dos meios locais confirmam que para a maioria
da opinião pública, a manifestação do sábado foi uma provocação contra a Igreja
Católica.

A Comissão de Justiça do Congresso do Peru decidiu o passado 8 de fevereiro
desprezar o debate do projeto de lei sobre as uniões civis entre pessoas do
mesmo sexo por considerá-lo inconstitucional, dado que a Carta Magna estabelece
que o matrimônio está formado por um homem e uma mulher.

Esta informação se deu a conhecer quando a empresa de sondagens CPI publicou os
resultados de uma pesquisa nacional realizada entre o 1º e o 6 de fevereiro, que
mostra que quase 75 por cento de peruanos estão contra o “matrimônio”
homossexual. [i]

http://www.acidigital.com/noticia.php?id=21153

CORTE DOS EUA PERMITE PROTESTOS DE IGREJA ANTIGAY

março 3, 2011 § Deixe um comentário

MSN – BBC, 02-03-2011

SUPREMA CORTE DOS EUA DIZ QUE IGREJA ANTIGAYS PODE PROTESTAR EM FUNERAIS

“Corte Suprema dos EUA”
Suprema Corte disse que Constituição ampara ações da igreja

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu nesta quarta-feira que uma polêmica
Igreja do país tem o direito de protestar em funerais de militares, apesar do
impacto psicológico que isso causa aos parentes dos mortos.

Membros da Igreja Batista Westboro, liderados pelo reverendo Fred Phelps,
protestaram em vários funerais militares para chamar a atenção para a visão
deles de que as mortes de militares americanos no Iraque e no Afeganistão são
uma punição para a imoralidade dos americanos, incluindo sua tolerância com gays
e a prática do aborto.

A igreja vinha sendo processada por Albert Snyder, pai de um dos soldados
mortos, que esperava receber uma indenização pelo desgaste emocional causado
pelos protestos.

Entretanto, por 8 votos a 1, a Suprema Corte decidiu que os protestos podem ser
realizados devido à Primeira Emenda da Constituição americana, que protege a
liberdade de expressão no país.

‘Obrigado pelas mortes’

O filho de Albert, Matthew Snyder, foi morto no Iraque em 2006, e seu corpo
voltou ao Estado americano de Maryland para o enterro, quando membros da igreja
batista Westboro fizeram um protesto.

Os manifestantes marcharam com placas com os dizeres ‘Obrigado, Deus, pelos
soldados mortos’, ‘Você vai para o inferno’ e ‘Deus odeia os EUA/Obrigado, Deus,
pelo 11 de Setembro’, que forçaram o cortejo fúnebre a alterar sua rota.

Snyder entrou na Justiça em março de 2006, acusando a igreja de infligir danos
emocionais intencionalmente, e ganhou o direito de receber US$ 11 milhões num
julgamento em 2007, valor que foi posteriormente reduzido para US$ 5 milhões por
um juiz.

O pai do soldado argumentou que o caso não era sobre liberdade de expressão, mas
sobre como a igreja, baseada em Topeka (cidade no Estado do Kansas), o
perturbou.

Mas um tribunal federal de recursos do Estado da Virgínia derrubou a decisão e o
direito à indenização, dizendo que a Constituição respaldava os membros da
igreja. O caso, então, foi para a Suprema Corte.

Primeira Emenda

Segundo o juiz da Suprema Corte John Roberts, ‘o que a Wesboro disse, em todo o
contexto de como e onde decidiu dizer, se aplica à ‘proteção especial’ sob a
Primeira Emenda, e essa proteção não pode ser derrubada por um júri que achar
que o protesto foi indecente’, escreveu o juiz John Roberts.

Membros da igreja, liderados pelo reverendo Fred Phelps, protestaram em vários
funerais militares para chamar atenção para a visão deles de que as mortes de
militares americanos no Iraque e no Afeganistão são uma punição para a
imoralidade dos americanos, incluindo sua tolerância com gays e a prática do
aborto.

‘O discurso é poderoso. Ele pode levar as pessoas à ação, fazê-las chorar de
alegria e tristeza e, como fez aqui, infligir grande dor’, os juízes disseram na
quarta-feira.

O juiz Samuel Alito foi o único a votar contra a decisão. ‘No intuito de ter uma
sociedade em que questões públicas podem ser debatidas aberta e vigorosamente,
não é necessário permitir a brutalização de vítimas inocentes como o requerente.
Eu, portanto, respeitosamente discordo’, ele escreveu.

Após a decisão, Margie Phelps, filha do reverendo e representante legal da
Westboro, disse a repórteres que o caso ‘pôs um megafone na boca de uma pequena
igreja’.

‘Nós lemos a lei. Nós seguimos a lei. A única forma de haver uma decisão
diferente seria rasgando a Primeira Emenda.’ [i]

http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=27870513

“Foda o papa… Mas use camisinha”

março 1, 2011 § Deixe um comentário

foda o papa... mas use camisinha

Em setembro de 2010, Inglaterra, os grupos lgbt, feministas, cientistas e ateístas se manifestaram contra a igreja católica.

Em contrapartida, bento 16 discursou: “Penso no imenso sofrimento causado pelo abuso de menores, especialmente pelos ministros da Igreja. Quero manifestar meu profundo pesar às vítimas inocentes destes crimes atrozes” (1).

A contradição é que ele pessoalmente, além de toda uma hierarquia católica, até chegar ao padre, escondem os crimes de colegas, acobertam o acusado e até facilitam seu remanejamento pra que ele possa continuar abusando meninos e meninas de 8 a 13 anos, até mesmo engravidar adolescentes (2).

São dois tipos de crimes; o acobertamento e promoção de pedófilos e outro de tentar facilitar a dispersão de dst’s, quando é contra o uso de preservativos pelos católicos. Ambos constituem denúncias formais no tribunal de Haia, de crimes contra a humanidade (3) (4).

(1) http://www.mundomais.com.br/exibemateria2.php?idmateria=1681
(2) http://www.estadao.com.br/arquivo/cidades/2001/not20010917p20866.htm
(3) http://www.guardian.co.uk/world/2003/oct/09/aids
(4) https://ateularia.wordpress.com/2011/02/27/papa-no-tribunal-de-haia-crimes-contra-a-humanidade/

Frederico Brandt

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com protesto em Ateularia.

%d blogueiros gostam disto: